quarta-feira, 19 de agosto de 2009

63 - CRESCENDO NA ADVERSIDADE


É fato. Todos se esforçam diariamente para fugir das adversidades. Boa parte das pregações que são ouvidas todos os dias pelos diversos meios de comunicação são para eliminar as adversidades.

Mas é possível vivermos sem problemas? Realmente muitas vezes os problemas são tantos e tão pesados que gostaríamos mesmo é de nos livrar definitivamente deles.

Mas problemas como os que JOSÉ passou durante sua vida como ser odiado por seus irmãos, vendido como escravo, caluniado, atirado em uma prisão, esquecido por aquele a que prestou ajuda, poucos passaram. (Gênesis 37-50)

Muitos quando passam por contratempos, preferem ficar se lamentando pelos cantos. Só sabem reclamar. Se queixam de tudo e com todos e nunca assumem uma posição diante dos problemas pelos quais estão passando com a intenção de superá-los.

JOSÉ nos dá um belo exemplo: um homem que enfrentou toda a ADVERSIDADE e cresceu a ponto de poder dizer: ¨DEUS me fez¨superar e ¨DEUS me fez¨vitorioso!

Sendo assim, com o desejo de estarmos CRESCENDO NA ADVERSIDADE em mente, examinemos o trecho da história de JOSÉ que se encontra no livro de Gênesis capitulo 41, versículos 50 ao 52 e vejamos o que a bíblia nos ensina a respeito do assunto:

¨Antes de chegar a fome, nasceram dois filhos a JOSÉ, os quais lhe deu Azenate, filha de Potífera, sacerdote de Om. José ao primogênito chamou de MANASSÉS, pois disse: DEUS me fez esquecer de todos os meus trabalhos, e de toda a casa de meu pai. Ao segundo chamou-lhe EFRAIM, pois disse: DEUS me fez próspero na terra da minha aflição.¨

Há três pontos importantes a serem analisados neste trecho:

O primeiro é o nome MANASSÉS, o segundo é o nome EFRAIM e o terceiro é a expressão ¨DEUS ME FEZ ¨.

Iniciemos com o nome MANASSÉS, que é o primeiro filho.
Literalmente, MANASSÉS significa DEUS “pôs no meu crédito”.

Se JOSÉ fosse reclamar e pesar em uma balança todo sofrimento e a alegria que viveu, teria um saldo negativo de alegria. Mas na realidade havia um débito enorme, e DEUS fez um depósito para ele, seu primeiro filho. DEUS ¨pôs no meu crédito¨.

A atitude de JOSÉ ao chamar o seu filho de MANASSÉS, DEUS ¨pôs no meu crédito¨, significa que as aflições que uma pessoa sofre não passam despercebidas diante de DEUS.

“DEUS me fez esquecer de todos os meus trabalhos” ou melhor “todos os meus sofrimentos e de toda a casa de meu pai”.Disse JOSÉ.

JOSÉ sentia muitas saudades de seu pai, seu encontro com ele é emocionante! Mas as lembranças dos irmãos eram amargas. Ele precisava esquecer sua saudade e a maldade dos irmãos. Ele sofria muito com isto.

Quem já experimentou sentir saudade de alguém que ama, que perdeu, que está distante, sabe o que isto significa. Ao mesmo tempo quem precisa esquecer maldades que lhe foram feitas, sofrimentos do passado que custam a cicatrizar, sabe também como isto é necessário.

Agora DEUS põe um crédito emocional na vida de JOSÉ. O filho não é um par de muletas, um tapa buracos, mas sim agora ele tem um sentimento muito mais forte, porque tem um filho para se alegrar. Ele tem uma compensação muito maior do que os sofrimentos. MANASSÉS,¨Pôs no meu crédito¨.

Seus irmãos quiseram matá-lo, mas agora ele tem um filho!
Para os orientais, ter um filho era algo profundo, porque eles achavam que a pessoa sobrevivia no seu descendente. Por isso que a maior humilhação que alguém podia ter era morrer sem deixar descendência.Os irmãos quiseram matá-lo, mas nunca mais poderiam matá-lo: ele tinha um filho e ele viveria no filho!

Os saduceus do tempo de JESUS não acreditavam em alma, nem espírito e muito menos em eternidade. Eram religiosos materialistas. Eles acreditavam que a pessoa sobrevivia nos seus descendentes.

JOSÉ não pode ser saduceu, porque eles vêm bem depois, mas se aplicarmos esse tipo de raciocínio aqui, então podemos dizer: ele agora está perpetuado. Sua memória não será apagada da face da terra!

Ele tem sofrimentos lá atrás. Como gostaria de ver o pai! Tanto que quando encontra os irmãos, disfarçado, ele faz uma pergunta: “Vosso pai, o ancião de quem falastes, ainda vive?” (Gênesis 43 : 27).

Ele quer informações do pai, mas ele tem um filho! Tem mágoa dos irmãos, mas ele tem um filho para amar! Ele tem um novo objetivo de amor.

DEUS vê e faz depósitos em nossa conta,o problema é que muitas vezes nós choramos tanto as amarguras que esquecemos de contar as bênçãos e nos centramos tanto nos pontos negativos do passado que nos esquecemos dos pontos positivos.

Nós continuamos remoendo as coisas erradas de cinco, dez, quinze anos atrás e nos esquecemos das coisas boas de hoje. Infelizmente é comum as pessoas ficarem relembrando o que lhe aconteceu quando era criança. Já é um adulto, já tem neto, tem tanto motivo para se alegrar, mas está carregando os ressentimentos de quarenta anos atrás.

Cada dia DEUS faz créditos em nossa conta!
“As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos porque as suas misericórdias não têm fim, novas são cada manhã”
diz Lamentações 3:22.

LEMBREM-SE DISSO!


Deixemos um pouco MANASSÉS, e falemos agora de EFRAIM. “Ao segundo chamou-lhe EFRAIM”.
Literalmente, ¨frutificou duplamente¨. É o segundo depósito.

DEUS fez um depósito que fez com que JOSÉ se esquecesse dos sofrimentos. Agora faz um segundo depósito, ¨frutificou duplamente¨: EFRAIM. Não é mais a lembrança do passado. É o presente mesmo. “DEUS me fez próspero na terra da minha aflição”.

JOSÉ tem um passado amargo, mas ele tem um passado recente ou, um presente de ontem, que ainda dói. Tem aquelas coisas lá de vinte anos atrás, que ainda produzem ferimentos, mas ele tem recordações de dois, três anos, de meses atrás. Como a situação estava difícil! Mas agora DEUS o faz frutificar. ¨Próspero na terra da minha aflição.¨ EFRAIM, ¨frutificou duplamente¨.

O sentimento agora é mais vigoroso. Agora ele está olhando o seu presente. O passado é uma página virada.
Como nós precisamos disso: de passar páginas para trás. A vida é um livro que se lê para frente, a história ainda não terminou. Há capítulos novos lá adiante. O enredo não está concluído. Há histórias ainda por assimilar.

Mas muitos ficam relendo sempre as mesmas páginas e nunca avança na obra que está escrevendo que é a sua própria vida. Antes o olhar foi para o passado, agora o olhar é para o presente. DEUS me fez prosperar duplamente! A lição aqui é que DEUS cicatriza as feridas.

Alguém disse que o tempo é o melhor remédio. Não, não é o tempo. Às vezes o tempo não é um bom remédio.

DEUS É O MELHOR REMÉDIO!

Quando a pessoa compreende que DEUS está trabalhando na sua vida. Em alguns momentos o tempo pode até ampliar feridas. A pessoa fica ruminando, mas DEUS pode fazer esquecer e frutificar.

E finalmente a terceira expressão, no versículo 51 e 52: “DEUS me fez”.

JOSÉ reconhece que o sujeito das ações é DEUS. Ele não diz “eu fiz”. ¨DEUS me fez¨ .

Ele é genro de Potífera, sacerdote egípcio. Potífera significa, literalmente, aquele que Ra deu. Ra era o nome de uma das divindades do Egito. Seu sogro era sacerdote de Om, mas o nome é aquele que Ra deu.

É casado com Azenate. Azenate significa pertence a Nate. Seu sogro, aquele que Ra deu, sua esposa, aquela que pertence a Nate. Mas não foi Ra quem lhe deu, foi DEUS! Seus filhos e ele não pertencem a Nate. Eles pertencem a DEUS!.

Nas duas declarações de JOSÉ: ¨DEUS me fez esquecer¨ e ¨DEUS me fez próspero¨, está o reconhecimento de que DEUS está fazendo a sua vida. Ele e DEUS eram co-parceiros. Ele creu na atuação de DEUS.

Há muita gente hoje que está buscando auxílio nos Potíferas e Azenates contemporâneos. Procura esquecer, por vezes em vícios, em remédios, no excesso de atividades, em drogas, para ter uma espécie de compensação emocional e nunca deixam que DEUS faça alguma coisa na sua vida.

JOSÉ compreendeu que por trás de tudo, nos bastidores, DEUS estava agindo. Ele poderia dizer “DEUS me esqueceu”, mas em nenhum momento ele disse: “DEUS me esqueceu”. Ele disse “DEUS me fez esquecer”.

DEUS nunca se esquece daquele que está na ADVERSIDADE.
DEUS nunca se esquece daquele que está sofrendo.
DEUS nunca se esquece daquele que tem feridas emocionais que ainda estão abertas e sangrando. Por trás de tudo ele está trabalhando, fazendo as cicatrizes, fazendo depósitos, fazendo novo depósito para que a pessoa se esqueça.

O problema é quando a pessoa não diz assim: ¨DEUS me fez¨ e simplesmente diz DEUS me esqueceu . DEUS está agindo nos bastidores. DEUS é o sujeito da vida de JOSÉ. Ele está no cárcere, mas está escrito: “o SENHOR era com JOSÉ!”.

O SENHOR estava sendo com JOSÉ, conduzindo. Não é mais o menino mimado, protegido do papai, o queridinho do papai que recebera uma túnica especial, o menino meio sem juízo que vai e conta os sonhos e no sonho o pai e os irmãos e a mãe um dia vão se ajoelhar diante dele,deixando a muitos zangados.

Agora é um homem que vai amadurecendo. Em meio aos problemas de JOSÉ, DEUS o fez amadurecer, DEUS o fez CRESCER. Nós nunca vamos amadurecer se não passarmos por contrariedades. Nelas é que nossa têmpera é forjada,nelas que DEUS trabalha na nossa vida.

Nós podemos ser adultos,mas quantas criancices muitos de nós temos. O fato de termos cabelos brancos ou ausência de cabelos não quer dizer que sejamos emocionalmente maduros. Podemos ter atitudes infantis e é preciso que DEUS trabalhe na nossa vida e vai então polindo, aplainando, formando, moldando. ¨DEUS me fez¨. Até fazer os depósitos com a compensação.

Concluindo as considerações sobre MANASSÉS, EFRAIM e ¨DEUS ME FEZ¨.

A infelicidade de JOSÉ tornou-se uma bênção. Já imaginaram se JOSÉ não fosse vendido como escravo? Já imaginaram se a mulher para quem JOSÉ trabalhava (era empregado doméstico), não mentisse e ele não fosse parar no cárcere? Já imaginaram se o primeiro sujeito que JOSÉ ajudou, se lembrasse dele e ele saísse do cárcere? Daria tudo errado.

Tinha que dar tudo errado para poder dar tudo certo, porque se desse certo como ele queria, no fim daria tudo errado. Ele saiu no momento certo e no tempo certo para salvar o Egito. Se tivesse saído antes a fome teria dizimado o Egito e a sua família teria morrido de fome. E não teria havido a família eleita, e não teria havido Israel e não teria vindo o Messias e não haveria a Igreja. JOSÉ precisou passar por tudo aquilo.

Lendo o livro de Gênesis vamos notar o seguinte: no fim do livro, desde o momento que aparece o nome de JOSÉ, não há mais um milagre. Desde que JOSÉ entra em cena, cessam os milagres. A história de JOSÉ poderia ser um romance secular qualquer. Não há nenhuma teofania,o nome que se dá para essas aparições sensacionais de DEUS, não há nada. Nada disso aparece.

A história vai seguindo calmamente, não há milagres, não há aparições de DEUS, não há anjos, não há nada. A teologia do livro é espiritualizada.

Mas no capítulo 50, versículo 20 aparece o que nós chamamos “doutrina da providência”.

¨Vós, na verdade, intentastes o mal contra mim; porém DEUS o tornou em bem, para fazer, como vedes agora, que se conserve muita gente em vida¨.

DEUS nunca pode ser frustrado. Em uma outra grande lição: DEUS tira o bem do mal. Por mais mal que intentem contra um filho de DEUS, DEUS pode torná-lo em bem.

A história de JOSÉ alcança a mudança no capítulo 41 versículo 45. Faraó, que era um pagão, põe um nome em JOSÉ:

“E a JOSÉ chamou Faraó de Zafenate-Panéia”.

Zafenate-Panéia significa “o homem que sabe das coisas”.
Esse foi o nome dado por um pagão a JOSÉ.
Um pagão testemunha sobre um filho de DEUS!
“O homem que sabe das coisas!”

Quem sabe das coisas, não se desespera.
Quem sabe das coisas, não entrega os pontos. Quem sabe das coisas nunca pensa que DEUS o abandonou, mas diz ¨DEUS me fez¨.

E para terminar voltemos ao capítulo 48 versículo 15. É o pai de JOSÉ quem fala, Jacó:

“E abençoou a JOSÉ dizendo: o DEUS em cuja presença andaram meus pais Abraão e Isaque, o DEUS que me sustentou durante a minha vida até este dia”
. Não é um menino. É um homem de cento e trinta anos quem diz isto.

O DEUS que me sustentou até este dia. Foi o DEUS que sustentou a JOSÉ na prisão e foi o DEUS que o tirou de lá. É possível CRESCER NA ADVERSIDADE!

LEMBREM-SE DISSO!

Se você está se sentindo como JOSÉ, DEUS não se esqueceu de você.ELE está trabalhando na sua vida!

Em vez de olhar tanto para trás, olhe para ver o que ELE está fazendo,veja-se como um Zafenate-Panéia, como ¨alguém que sabe das coisas¨ e procure reconhecer a bondade DELE nos seus atos.

Pois somente DEUS te faz CRESCER NA ADVERSIDADE!

Referência: http://ibcambui.org.br/mensagens

Que DEUS os abençoe

Por Presbítero Marcos Brandão leite


*VALE A PENA, VISITE: CAMINHANDO NA GRAÇA DE GRAÇA - http://marcelonathanson.blogspot.com/ Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Template Rounders modificado por ::CAMINHO PLANO::
| 29/11/2008 |