domingo, 2 de janeiro de 2011

136 - COMO SERÁ O CÉU?


“E vi um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe.

E eu, João, vi a santa cidade, a nova Jerusalém, que de Deus descia do céu, adereçada como uma esposa ataviada para o seu marido.

E ouvi uma grande voz do céu, que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles, e será o seu Deus.

E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas.

E o que estava assentado sobre o trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E disse-me: Escreve; porque estas palavras são verdadeiras e fiéis.

E disse-me mais: Está cumprido. Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim. A quem quer que tiver sede, de graça lhe darei da fonte da água da vida.

Quem vencer, herdará todas as coisas; e eu serei seu Deus, e ele será meu filho.

Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte.

E veio a mim um dos sete anjos que tinham as sete taças cheias das últimas sete pragas, e falou comigo, dizendo: Vem, mostrar-te-ei a esposa, a mulher do Cordeiro.

E levou-me em espírito a um grande e alto monte, e mostrou-me a grande cidade, a santa Jerusalém, que de Deus descia do céu.

E tinha a glória de Deus; e a sua luz era semelhante a uma pedra preciosíssima, como a pedra de jaspe, como o cristal resplandecente.

E tinha um grande e alto muro com doze portas, e nas portas doze anjos, e nomes escritos sobre elas, que são os nomes das doze tribos dos filhos de Israel.

Do lado do levante tinha três portas, do lado do norte, três portas, do lado do sul, três portas, do lado do poente, três portas.

E o muro da cidade tinha doze fundamentos, e neles os nomes dos doze apóstolos do Cordeiro.

E aquele que falava comigo tinha uma cana de ouro, para medir a cidade, e as suas portas, e o seu muro.

E a cidade estava situada em quadrado; e o seu comprimento era tanto como a sua largura. E mediu a cidade com a cana até doze mil estádios; e o seu comprimento, largura e altura eram iguais.

E mediu o seu muro, de cento e quarenta e quatro côvados, conforme a medida de homem, que é a de um anjo.A construção do seu muro era de jaspe, e a cidade de ouro puro, semelhante a vidro puro.

E os fundamentos do muro da cidade estavam adornados de toda a pedra preciosa.

O primeiro fundamento era jaspe; o segundo, safira; o terceiro, calcedônia; o quarto,esmeralda;o quinto, sardônica; o sexto, sárdio; o sétimo, crisólito; o oitavo, berilo; o nono, topázio; o décimo, crisópraso; o undécimo, jacinto; o duodécimo, ametista.

E as doze portas eram doze pérolas; cada uma das portas era uma pérola; e a praça da cidade de ouro puro, como vidro transparente.

E nela não vi templo, porque o seu templo é o Senhor Deus Todo-Poderoso, e o Cordeiro.

E a cidade não necessita de sol nem de lua, para que nela resplandeçam, porque a glória de Deus a tem iluminado, e o Cordeiro é a sua lâmpada.

E as nações dos salvos andarão à sua luz; e os reis da terra trarão para ela a sua glória e honra.

E as suas portas não se fecharão de dia, porque ali não haverá noite.

E a ela trarão a glória e honra das nações.

E não entrará nela coisa alguma que contamine, e cometa abominação e mentira; mas só os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro.

E mostrou-me o rio puro da água da vida, claro como cristal, que procedia do trono de Deus e do Cordeiro.

No meio da sua praça, e de um e de outro lado do rio, estava a árvore da vida, que produz doze frutos, dando seu fruto de mês em mês; e as folhas da árvore são para a saúde das nações.

E ali nunca mais haverá maldição contra alguém; e nela estará o trono de Deus e do Cordeiro, e os seus servos o servirão.

E verão o seu rosto, e nas suas testas estará o seu nome.
E ali não haverá mais noite, e não necessitarão de lâmpada nem de luz do sol, porque o Senhor Deus os ilumina; e reinarão para todo o sempre.” (Apocalipse 21.1-22.5)


Nós vamos para o céu!

O propósito de nosso trabalho não é ficar aqui, mas ir ao céu.

É muito importante, na vida cristã, lembrar sempre para onde estamos indo.

Isto ajuda muito a não perder tempo com o que não interessa.

Nesta postagem vamos tentar descrever o indescritível na linguagem humana.

Usando Apocalipse 21.1-22.5 citados acima vamos observar três metáforas para explicar o céu.


O TABERNÁCULO - COMUNHÃO (21.1-8)

O NOVO SISTEMA(1)



Deus vai nos dar um novo lugar de morada.

“Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça.” (2Pedro 3.13)

É o cumprimento de uma das maiores promessas do Velho Testamento.

“Porque, eis que eu crio novos céus e nova terra; e não haverá mais lembrança das coisas passadas, nem mais se recordarão.”

“Porque, como os novos céus, e a nova terra, que hei de fazer, estarão diante da minha face, diz o SENHOR, assim também há de estar a vossa posteridade e o vosso nome.” (Isaías 65.17, 66.22)


O MUNDO ATUAL SERÁ DESTRUIDO (Apocalipse 20.11).

“E vi um grande trono branco, e o que estava assentado sobre ele, de cuja presença fugiu a terra e o céu; e não se achou lugar para eles.”

É um novo universo completamente diferente do nosso, cheio da bênção de Deus.


A NOVA CIDADE (2)


Vamos receber uma nova morada.

“Porque esperava a cidade que tem fundamentos, da qual o artífice e construtor é Deus.’

“Mas agora desejam uma melhor, isto é, a celestial. Por isso também Deus não se envergonha deles, de se chamar seu Deus, porque já lhes preparou uma cidade.” (Hebreus 11.10, 16).

É a cidade santa, a comunidade perfeita e redimida.

É a igreja celestial.

“Mas chegastes ao monte Sião, e à cidade do Deus vivo, à Jerusalém celestial, e aos muitos milhares de anjos; à universal assembléia e igreja dos primogênitos, que estão inscritos nos céus, e a Deus, o juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados; e a Jesus, o Mediador de uma nova aliança, e ao sangue da aspersão, que fala melhor do que o de Abel.” (Hebreus 12.22-24)

É a noiva.

“Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor; porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo.
De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seus maridos.

Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela, para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra, para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.

Assim devem os maridos amar as suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo.

Porque nunca ninguém odiou a sua própria carne; antes a alimenta e sustenta, como também o Senhor à igreja; porque somos membros do seu corpo, da sua carne, e dos seus ossos.

Por isso deixará o homem seu pai e sua mãe, e se unirá a sua mulher; e serão dois numa carne.

Grande é este mistério; digo-o, porém, a respeito de Cristo e da igreja.

Assim também vós, cada um em particular, ame a sua própria mulher como a si mesmo, e a mulher reverencie o marido.” (Efésios 5.22-35).


O TABERNÁCULO DE DEUS (3-4)


No tempo do Velho Testamento, o Tabernáculo (tenda da congregação) era o local simbólico da presença de Deus.

Porém, só os sacerdotes podiam entrar nele.

Agora, todos os homens estão no Tabernáculo e tem perfeito acesso a Deus.

Deus está com seu povo, como no tempo das peregrinações no deserto.

Todos tem íntima comunhão com ele e podem ver a glória e esplendor de Deus.


A RENOVAÇÃO DE TUDO (5-6)


A nova criação para receber as novas criaturas.

“Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.” (2Coríntios 5.17).

Desde nossa conversão.

“Porque em Cristo Jesus nem a circuncisão, nem a incircuncisão tem virtude alguma, mas sim o ser uma nova criatura.” (Gálatas 6.15)

Aguardamos o dia em que a palavra de Deus remove o universo.

“Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada.

Porque a ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus.

Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou, Na esperança de que também a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus.

Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora.

E não só ela, mas nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo.

Porque em esperança fomos salvos. Ora a esperança que se vê não é esperança; porque o que alguém vê como o esperará?

Mas, se esperamos o que não vemos, com paciência o esperamos.” (Romanos 8.18-25).

Além disto, o propósito de Deus estará completamente cumprido: “Tudo está feito”.

Assim como Jesus cumpriu nossa redenção.

“E, quando Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito.” (João 19.30)

Também agora todas as promessas de Deus se cumprem.

Deus é eterno, infinito e todo-abrangente.

Ele mesmo vai nos dar a água da vida.


OS DOIS DESTINOS (7-8)


1º - O VENCEDOR (7)

É aquele que mesmo com a perseguição, não negou a sua fé.

Deus promete aos fiéis a herança de morar no seu tabernáculo e faz a mesma afirmação de paternidade e filiação dada aos reis de Israel.

“E as cidades que os filisteus tinham tomado a Israel foram-lhe restituídas, desde Ecrom até Gate, e até os seus termos Israel arrebatou da mão dos filisteus; e houve paz entre Israel e entre os amorreus.” (1Samuel 7.14).


Somos reis.

2º - O PERDEDOR (8)

É aquele que negou a fé ou que nunca se tornou cristão.

A lista de pecados envolve desde covardia e mentira até assassinato e incredulidade.


A CIDADE - PROTEÇÃO (21.9-27)


A visão é introduzida por um dos anjos portadores do juízo de Deus,que agora é enviado para dar esperança ao povo de Jesus (9-10).

A cidade é chamada de: noiva, a esposa do Cordeiro, a cidade Santa, a Jerusalém que desce do céu.


A GLÓRIA PERFEITA (11-21)



A descrição da cidade é gloriosa.

1º - Fulgor de pedra de Jaspe: (11) glória como o brilho de Deus.

“E o que estava assentado era, na aparência, semelhante à pedra jaspe e sardônica; e o arco celeste estava ao redor do trono, e parecia semelhante à esmeralda.” (Apocalipse 4.3).

2º - É a cidade do povo de Deus, pois o número 12 é o número que simboliza o povo de Deus:

a) doze portas (doze pérolas)

b) doze anjos

c) doze nomes das tribos

d) doze fundamentos das muralhas

e) doze nomes dos apóstolos do cordeiro

f) doze mil estádios de comprimento, largura e altura

g) doze vezes doze (144) côvados de medida, para a muralha

h) doze camadas de pedras preciosas no fundamento da
muralha

3º - A estrutura e esplendor da cidade são como jaspe e ouro.

O ouro puro como vidro.


O CULTO PERFEITO (22)


Aquilo que poderia ser considerado como um defeito da cidade, era na verdade uma virtude.

Não havia templo na cidade pois o próprio Deus, presente na cidade é o ambiente de adoração a Deus.


A ILUMINAÇÃO PERFEITA(23)


A glória de Deus é a luz da cidade.

Jesus é a luz do mundo porvir.


A INIVERSALIDADE PERFEITA (24)


Todos os homens, de toda a parte, que se tornaram cristãos fazem parte desta cidade.

É a cidade mundial que acolhe os homens de todas as nações.


A ATIVIDADE PERFEITA (25)


Sua atividade de louvor, serviço a Deus e regozijo dos santos nunca será interrompida.


O DOMINIO PERFEITO (26)


O que há de bom, em qualquer parte, virá para este lugar.


A SANTIDADE PERFEITA (27)


Os que têm o nome no Livro da Vida participam desta cidade.

Mas aqueles que vivem no pecado não participam.


O JARDIM - PROVISÃO (22.1-5)

ABASTECIMENTO DE ÁGUA (1)



A fonte de água é Deus mesmo.

Cumprindo as mais santas expectativas dos profetas do Velho Testamento.

“Depois disto me fez voltar à porta da casa, e eis que saíam águas por debaixo do umbral da casa para o oriente; porque a face da casa dava para o oriente, e as águas desciam de debaixo, desde o lado direito da casa, ao sul do altar.” (Ezequiel 47.1)

“E outro anjo seguiu, dizendo: Caiu, caiu Babilônia, aquela grande cidade, que a todas as nações deu a beber do vinho da ira da sua prostituição.” (Zacarias 14.8).

É a água da vida... Vida Eterna.


ALIMENTAÇÃO E SAÚDE (2)


O pomar irrigado com a água da vida produz das árvores da vida os frutos (doze por árvore).

E as folhas da árvore têm valor medicinal para curar todas as enfermidades.

A árvore perdida em Gênesis 3.22-24 foi agora recuperada.


TRABALHO E LAZER (3-5)


Servir a Deus.

Ver o rosto de Deus.

Receber a luz da glória de Deus como luz para nossas vidas.

Concluindo, o texto é simbólico e procura chamar a nossa atenção para tudo o que
Deus tem nos prometido.

Não dá para entender tudo, mas dá para entender tudo: é muito bom o que Deus tem preparado para aqueles que ele ama.

Estamos cada dia mais próximos deste céu.

Fiquemos firmes para entrar nele pela graça de JESUS.



Que Deus abençoe a todos.


Autor: Álvaro César Pestana




*VISITE TAMBÉM: A TENDA NA ROCHA - http://atendanarocha.blogspot.com/ VALE A PENA. Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Template Rounders modificado por ::CAMINHO PLANO::
| 29/11/2008 |