domingo, 14 de novembro de 2010

128 - O QUE OCORRERÁ NA VINDA DE JESUS?


“Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança.

Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os tornará a trazer com ele.

Dizemo-vos, pois, isto, pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem.

Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro.

Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.

Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras.

Mas, irmãos, acerca dos tempos e das estações, não necessitais de que se vos escreva; porque vós mesmos sabeis muito bem que o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; pois que, quando disserem: Há paz e segurança, então lhes sobrevirá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida, e de modo nenhum escaparão.

Mas vós, irmãos, já não estais em trevas, para que aquele dia vos surpreenda como um ladrão; porque todos vós sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite nem das trevas.

Não durmamos, pois, como os demais, mas vigiemos, e sejamos sóbrios; porque os que dormem, dormem de noite, e os que se embebedam, embebedam-se de noite.

Mas nós, que somos do dia, sejamos sóbrios, vestindo-nos da couraça da fé e do amor, e tendo por capacete a esperança da salvação; porque Deus não nos destinou para a ira, mas para a aquisição da salvação, por nosso Senhor Jesus Cristo, que morreu por nós, para que, quer vigiemos, quer durmamos, vivamos juntamente com ele.

Por isso exortai-vos uns aos outros, e edificai-vos uns aos outros, como também o fazeis. (1Tessalonicenses 4.13 - 5.11)



A expectativa da vinda de Jesus tem ocupado a mente dos seus discípulos desde a ascensão de Jesus.

“E, quando dizia isto, vendo-o eles, foi elevado às alturas, e uma nuvem o recebeu, ocultando-o a seus olhos.

E, estando com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que junto deles se puseram dois homens vestidos de branco.

Os quais lhes disseram: Homens galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir.”(Atos 1.9-11).


O desejo de ver a vinda de Jesus é algo bom, mas devemos ficar precavidos contra os erros doutrinários que os homens tem adicionado a este ensino.

Nesta postagem veremos que a vinda de Jesus marca o fim da nossa vida humana na terra, pois ocorrerá a ressurreição dos santos e a condenação dos injustos.


NÃO DEVEMOS IGNORAR ESTE ASSUNTO (13)


Era um dos assuntos básicos no ensino cristão.

“Por isso, deixando os rudimentos da doutrina de Cristo, prossigamos até à perfeição, não lançando de novo o fundamento do arrependimento de obras mortas e de fé em Deus, e da doutrina dos batismos, e da imposição das mãos, e da ressurreição dos mortos, e do juízo eterno” (Hebreus 6.1-2)

A expressão dormir é usada no lugar de morrer.

“Depois foi visto, uma vez, por mais de quinhentos irmãos, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormem também”.


“Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, e foi feito as primícias dos que dormem.” (1Coríntios 15.6,20)


Não significa que ficamos inconscientes na morte, pois mesmo dormindo (morrendo) estamos vivos com Cristo (veja 5.10).

A expressão “dormir” pressupõe o “acordar”, na ressurreição geral dos homens.

A ignorância da doutrina da ressurreição gera desesperança aquela que existe no mundo, entre aqueles que não tem esperança da vida porvir.

“Que naquele tempo estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel, e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança, e sem Deus no mundo”.(Efésios 2.12)



NOSSA CONFIANÇA DE RESSURREIÇÃO ESTÁ EM CRISTO (14)


Um dos pontos básicos e fundamentais da fé cristã é a ressurreição de Jesus.


“A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo”.

“Porque foi para isto que morreu Cristo, e ressurgiu, e tornou a viver, para ser Senhor, tanto dos mortos, como dos vivos”.

“Declarado Filho de Deus em poder, segundo o Espírito de santificação, pela ressurreição dos mortos, Jesus Cristo, nosso Senhor”. (Romanos 10.9; 14.9; 1.4)

“Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, e que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras”.

“Ora, se se prega que Cristo ressuscitou dentre os mortos, como dizem alguns dentre vós que não há ressurreição de mortos?” (1Coríntios 15.3,4, 12).



A ressurreição de Jesus é a prova e a garantia de nossa própria ressurreição.

“E, se o Espírito daquele que dentre os mortos ressuscitou a Jesus habita em vós, aquele que dentre os mortos ressuscitou a Cristo também vivificará os vossos corpos mortais, pelo seu Espírito que em vós habita”. (Romanos 8.11).


Temos a forte e inabalável convicção de que Jesus morreu e ressuscitou, e, portanto, os que morreram em Cristo, serão trazidos juntamente com Cristo, vivos na volta dele.


VAMOS TODOS ESTAR COM CRISTO (15-18)


O ensino de Paulo sobre a ressurreição estava baseado nas palavras de
Jesus (15)

A idéia é que os mortos não perderão nada em relação aos vivos.

Nem todos morrerão antes da vinda de Jesus.

Haverá uma ordem na sucessão dos acontecimentos onde primeiramente acontecerá a ressurreição dos mortos e depois a transformação dos que ficaram vivos.

“Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados”. (1Coríntios 15.52).


Desta forma, os que morreram não vão “perder” nada na volta de Jesus. Quem garante isso é o próprio Jesus.


A ORDEM DOS ACONTECIMENTOS (16-17)


É aqui onde Paulo provavelmente cita com mais cuidado algumas expressões de Jesus.

“E não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem”.

“E ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus”. (Mateus 24.39,31)

“Não vos maravilheis disto; porque vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz”. (João 5.28).


1º - Palavra de ordem de Jesus – o comando da ação.

2º - A voz do arcanjo – a participação das hostes celestiais

“Porque já o mistério da injustiça opera; somente há um que agora resiste até que do meio seja tirado”.(2 Tessalonicenses 1.7).

3º - A trombeta de Deus – simbolizando, como no Velho Testamento, a presença de Deus; “Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados”. (1Coríntios 15.52); também associada com a ressurreição.

4º - Jesus descerá dos céus – “E esperar dos céus a seu Filho, a quem ressuscitou dentre os mortos, a saber, Jesus, que nos livra da ira futura”. (1Tessalonicenses 1.10)

5º - Os mortos vão ressurgir. [trata-se da ressurreição de todos, justos e injustos, embora o texto trate apenas dos cristãos].

6º - Os vivos (transformados – “Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados”. 1Coríntios 15.52) e os mortos ressurretos vão ser arrebatados e se encontrarão com Jesus nos ares.

Alguns textos sobre arrebatados – “E poderia ser que, apartando-me eu de ti, o Espírito do Senhor te tomasse, não sei para onde, e, vindo eu a dar as novas a Acabe, e não te achando ele, me mataria; porém eu, teu servo, temo ao Senhor desde a minha mocidade”. (Reis 18.12)

“Conheço um homem em Cristo que há catorze anos (se no corpo, não sei, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe) foi arrebatado ao terceiro céu.

E sei que o tal homem (se no corpo, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe).

Foi arrebatado ao paraíso; e ouviu palavras inefáveis, que ao homem não é lícito falar “. (2Coríntios 12.2-4)

“E, quando saíram da água, o Espírito do Senhor arrebatou a Filipe, e não o viu mais o eunuco; e, jubiloso, continuou o seu caminho”. (Atos 8.39)



NOTA: Os defensores da doutrina de um arrebatamento secreto da igreja usam o vocábulo “arrebatados”, do texto de 1 Tessalonisenses 4.17 , fora do seu contexto.

”Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor”.

Ensinam que haverá um “sumiço” misterioso do povo de Deus, quando na verdade, a idéia que este texto bíblico transmite é de um evento completamente visível e do qual todos participam.

O povo de Cristo vai estar para sempre com ele e não vai retornar para a terra para reinar aqui por 1.000 anos.

Não há nada secreto neste texto, mas algo que ninguém vai perder.

7º - Depois disto já não haverá alterações de nosso estado.

Estaremos para sempre com o Senhor.


"Disse-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai, o que nos basta.

Disse-lhe Jesus: Estou há tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Filipe?

Quem me vê a mim vê o Pai; e como dizes tu: Mostra-nos o Pai?"(João 14.8-9)
.


O MOTIVO DO ENSINO (18)


O motivo era o de consolar os cristãos vivos que pensavam que os que haviam morrido perderiam a recompensa final.

Por esta razão, o texto não fala muito dos incrédulos, mas por outros textos do Novo Testamento podemos saber que:

1º - Os incrédulos serão ressurretos juntamente conosco.

“Não vos maravilheis disto; porque vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz.

E os que fizeram o bem sairão para a ressurreição da vida; e os que fizeram o mal para a ressurreição da condenação”. (João 5.28 – 29)

“E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para vida eterna, e outros para vergonha e desprezo eterno”. (Daniel 12.2).



2º - Os incrédulos não serão arrebatados para estar com Jesus; “Então, estando dois no campo, será levado um, e deixado o outro; estando duas moendo no moinho, será levada uma, e deixada outra. (Mateus 24.40-41), já revelando, neste momento, a separação definitiva e final dos justos e dos injustos.

3º -
Os incrédulos serão castigados e atribulados na vinda de Jesus e serão eternamente afastados de Deus e de Jesus, após o juízo final.

“Se de fato é justo diante de Deus que dê em paga tribulação aos que vos atribulam, e a vós, que sois atribulados, descanso conosco, quando se manifestar o Senhor Jesus desde o céu com os anjos do seu poder,como labareda de fogo, tomando vingança dos que não conhecem a Deus e dos que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo; os quais, por castigo, padecerão eterna perdição, ante a face do Senhor e a glória do seu poder, quando vier para ser glorificado nos seus santos, e para se fazer admirável naquele dia em todos os que crêem (porquanto o nosso testemunho foi crido entre vós)”. (2Tessalonicenses 1.6-10)

Isto ocorre ao mesmo tempo em que os cristãos serão aliviados (7), na presença de Jesus, glorificando-o (10).


A OCASIÃO DA RESSURREIÇÃO GERAL (5.1-3)


Deus controla os tempos e as épocas.

“E de um só sangue fez toda a geração dos homens, para habitar sobre toda a face da terra, determinando os tempos já dantes ordenados, e os limites da sua habitação”.(Atos 17.26).

Só Deus sabe a hora e dia do retorno de Jesus.

“Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai”. (Mateus 24.36).

Jesus disse que viria como ladrão, ou seja, de modo inesperado.


“Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor.

Mas considerai isto: se o pai de família soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa.

Por isso, estai vós apercebidos também; porque o Filho do homem há de vir à hora em que não penseis”. (Mateus 24.42-44)

“Sabei, porém, isto: que, se o pai de família soubesse a que hora havia de vir o ladrão, vigiaria, e não deixaria minar a sua casa”.(Lucas 12.39)

“Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão”. (2Pedro 3.10)

“Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido, e guarda-o, e arrepende-te. E, se não vigiares, virei sobre ti como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei”.

“Eis que venho como ladrão. Bem-aventurado aquele que vigia, e guarda as suas roupas, para que não ande nu, e não se vejam as suas vergonhas”. (Apocalipse 3.3; 16.15).



A coisa mais certa que podemos saber sobre a volta de Cristo é a impossibilidade de marcar sua data.

A incerteza da data é certeza.

Duas atitudes são erradas sobre a volta de Jesus:

1ª - Tentar prever.

“Disse então ele: Vede não vos enganem, porque virão muitos em meu nome, dizendo: Sou eu, e o tempo está próximo. Não vades, portanto, após eles”. (Lucas 21.8)

“E disse-lhes: Não vos pertence saber os tempos ou as estações que o Pai estabeleceu pelo seu próprio poder”.(Atos 1.7).



2ª - Tentar negar.


“E dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? Porque desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação”. (2Pedro 3.4) – Era isto que diziam os falsos profetas.

“E curam superficialmente a ferida da filha do meu povo, dizendo: Paz, paz; quando não há paz”. (Jeremias 6.14; 8.11)


Já estamos nos últimos dias “A quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo”. (Hebreus 1.2), e até mesmo na última hora “Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos, por onde conhecemos que é já a última hora”. (1João 2.18).


FICANDO ALERTA PARA A VOLTA DE JESUS (5.4-11)


Na volta de Jesus, o contraste entre a igreja e o mundo ficará evidente:

MUNDO - IGREJA
Trevas (4-5) - Luz (5)
Noite (7) - Dia (5,8)
Dormindo (6) - Vigiando (6,10)
Embriagues (7) - Sobriedade (6)
IRA (9) - SALVAÇÃO (8-9)

A vigilância e sobriedade do cristão se vê pela armadura com a qual está vestido e da qual nunca se separa (8).

Couraça – fé e amor (os atos)

“Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor”. (1Coríntios 13.13)

Capacete – esperança da salvação (a atitude)

“Lembrando-nos sem cessar da obra da vossa fé, do trabalho do amor, e da paciência da esperança em nosso Senhor Jesus Cristo, diante de nosso Deus e Pai”.(1Tessalonicenses 1.3)


“Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça;e calçados os pés na preparação do evangelho da paz;tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno.

Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus”. (Efésios 6.14-17)


O propósito de Deus é salvar (9-10).

Assim sendo, quer neste mundo (vigiando), quer no mundo além (dormindo – agora com o sentido de morte física), viveremos em união com Cristo.

O propósito deste ensino é o consolo e edificação da igreja. Maranata! (11)


Concluindo,o grande consolo da igreja é saber que nunca perde.

Se estivermos vivos quando Cristo voltar, seremos arrebatados para estar com ele.

Se já tivermos morrido, seremos os primeiros a ser trazidos com ele a este mundo.

Com Cristo, nada se perde, tudo é glorificado!



Que Deus abençoe a todos



Autor: Álvaro César Pestana



*VISITE TAMBÉM: MINISTÉRO BERÉIA - http://ministeriobbereia.blogspot.com/ VALE A PENA. Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Template Rounders modificado por ::CAMINHO PLANO::
| 29/11/2008 |